Esconde-te atrás dessa árvore encantadora

 

 

É de manhã, o despertador toca para mim uma música do John Mayer. Acordo e volto a dormir, esperando, inconscientemente, pela voz da minha mãe (melhor do que qualquer música). Levanto-me e acordo a pessoa mais importante da minha vida, o meu irmão. Sou invadido pelos frequentes pensamentos, pela vontade de olhar, pelo medo de falhar com alguém.

No teu pensar, eu mudo todos os dias. Por vezes sou encantador, por vezes nem nasci ainda. Tu és o que eu não quero ser, mas os teus olhos fazem brilhar os meus, é por isso que me mantenho de pé, mesmo quando me mandas para o chão sem o saber. Lembro-me de ter tocado nas tuas mãos, lembro o teu sorriso e estou certo que tu não, é isso que nos difere, os sentimentos e a forma de os mostrar. As palavras não são tudo, às vezes criam ilusões, outras vezes dizem a verdade, e por isso digo:

"Vejo quem sou numa folha tua, leio as palavras que escreveste com a alma. Fecho os olhos e imagino como seria um mundo feito de letras, procurando o coração no meio delas."

Passamos tanto tempo no vazio, deixamos de aparecer tantas vezes, fugimos tão repentinamente que não nos lembramos, há sempre uma árvore para subir, ou para nos esconder.

sinto-me:
publicado por escreve-me às 22:32 | link do post | Escrevo-lhe | partilhar